PRIMEIRAS IMPRESSÕES: 2ª temporada de Kimetsu no Yaiba

(Foto: Divulgação/Fuji TV e ufotable) 

Após uma longa espera, o anime Kimetsu no Yaiba, também conhecido como Demon Slayer, finalmente retornou. Aproveitando o sucesso do filme Demon Slayer - Mugen Train: O Filme (2020), que arrecadou mais de 500 milhões de dólares na bilheteria mundial, a segunda temporada começa com um primeiro episódio original e sem nenhuma ligação com o mangá, fonte primária da história.

A animação permanece com o estúdio Ufotable, que decidiu não seguir diretamente com a história após o fim do filme. Em vez disso, preferiram separar a temporada em dois arcos: “O Trem Infinito”, o mesmo do filme, sendo agora readaptado para a TV com os episódios um ao sete, e o “Distrito da Luz Vermelha”, do oito em diante. O motivo dessa escolha não foi explicado, mas é provável que os criadores não queiram adiantar muito o conteúdo do mangá por enquanto. Antes das primeiras informações sobre a nova temporada, era especulado que, além do “Distrito da Luz Vermelha”, fosse adaptado o arco seguinte, o da “Vila dos Ferreiros”. Agora, o mais provável é que esse próximo passe para a terceira temporada ou outro longa.

O lado bom dessa escolha é que ganhamos um conteúdo inédito, focado no personagem principal do filme do ano passado, Rengoku Kyojuro. Apesar da história e de alguns diálogos desse primeiro episódio serem um pouco superficiais, apoiando-se no clichê, ele serve para nos afeiçoarmos ainda mais com o Rengoku. Já no segundo, não se tem muito a destacar, porque quase tudo é igual ao filme, com a remoção de apenas algumas cenas e inclusão de outras.

A animação se mantém em altíssimo nível, principalmente nas batalhas. Nelas, as cores ressaltam aos olhos do espectador e as reconhecidas repetições de um mesmo golpe visto por ângulos diferentes impressionam, como visto na primeira temporada. Além disso, o sangue e sequências mais violentas ainda estão presentes, justificando o horário tardio em que os episódios vão ao ar no Japão.

A parceria com a cantora LiSA continua, porém, não é mais exclusiva. A artista japonesa ficou a cargo dos temas de abertura, com a música “Akeboshi”, e encerramento, com a canção “Shirogane”. Entretanto, ambas serão utilizadas apenas no primeiro arco adaptado: “O Trem Infinito”. As composições da LiSA não apareceram no episódio inicial, lançado dia 10 de outubro no Brasil, e só pudemos apreciá-las a partir do segundo, trazendo cenas inéditas nas sequências. Embora não sejam tão marcantes quanto “Gurenge” e “Homura”, as novas músicas não decepcionam, deixando os fãs felizes ao escutarem novamente a familiar voz da cantora.

Foi um bom ponto de partida. A expectativa irá permanecer nos próximos episódios. Iremos diminuir a saudade que temos do Rengoku, mas sem deixar de ficarmos ansiosos para acompanharmos as novas aventuras dos jovens caçadores de demônios juntos de outros Hashiras.

Onde assistir? Crunchyroll e Funimation.
Micael Menezes
Micael Menezes

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.