Desculpe o transtorno, mas trago nostalgia e ansiedade para Spider-Man: No Way Home


(Foto: Sony Pictures/Divulgação) 

Amanhã estarei na pré-estreia de Spider-Man: No Way Home, que no Brasil foi traduzido como Homem-Aranha: Sem Volta para Casa. O filme, que vocês vão saber mais detalhes depois aqui no blog e no nosso podcast, traz no elenco Tom Holland, Zendaya, Benedict Cumberbatch, Benedict Wong, Marisa Tomei, entre outros nomes já conhecidos dos fãs da Marvel. Além de, é claro, o trio Jamie Foxx, o Electro; Alfred Molina, o Dr. Octopus; e o Willem Dafoe, o eterno Duende Verde; vilões de outros universos do Spiderman – do Tobey e do Andrew, sim.

Onde eu quero chegar com tudo isso? Que eu tô muito no hype, primeiramente, e eu confesso que não pensei que ficaria assim.

Mas, a verdade é que, por conta da estreia e dos conteúdos do Clubinho, eu precisei maratonar as histórias anteriores do Homem-Aranha, tanto as já conhecidas por mim (Tobey Maguire), como as que eu nunca havia feito questão de assistir (Andrew Garfield). Esse momento de revisitar esses filmes me trouxe alguns sentimentos como a empolgação de poder ver parte dessas histórias novamente nos cinemas, as expectativas de que Andrew e Tobey estejam no filme e também um leve balde de água fria na minha teimosia, porque gostei muito do Peter Parker do Garfield, que eu renegava até antes de assistir dias atrás.

As histórias do Homem-Aranha marcaram toda uma geração, né? Começando lá no início dos anos 2000, com a primeira versão dos filmes, que traziam Tobey, Willem, Kirsten Dunst e James Franco no elenco. Mesmo ele sendo o “homem”-aranha, lembro de brincar com meus primos soltando teias com a mãozinha tal qual o Parker.

As referências do super-herói também estão presentes em diversas outras produções que sou fã, como a cena clássica do beijo de cabeça para baixo de Peter e Mary Jane que está adaptada em The OC, com a Summer e o Seth. Ou a referência à música do Spiderman no filme dos Simpsons, sabe? É um marco da cultura pop e não à toa.


(Foto: Globoplay/Reprodução) 

Quando saiu The Amazing Spider-Man, eu não tive vontade nenhuma de assistir e assim não o fiz – apesar de que, enquanto via esses últimos dias, percebi que já havia assistido flashes dele, provavelmente na Globo. Eu sentia que não ia gostar do Andrew no papel, que a Gwen (Emma Stone) jamais seria MJ (e não é, né? Nunca foi a intenção, afinal) e quebrei a cara bonito! Gostei e gostei muito, apesar dele continuar na última posição do meu top 3 dos miranhas. O Peter do Garfield traz uma leveza diferente em relação ao do Tobey, mas ainda assim tem suas partes sombrias bem marcadas.

Daí, todo esse universo ganha um novo significado com a interpretação do Tom Holland. Ele tem leveza, uma certa ingenuidade, um bom coração e uma paixão quanto aos Vingadores que acaba nos trazendo certa identificação. Ele é um excelente Peter Parker, pra mim, de todos é o melhor. Como Spiderman, ele ainda está aprendendo, mas já se sobressai e muito. Suas partes sombrias estão chegando aos poucos… Sumiu no blip e voltou, perdeu o Tony Stark, viu outros Avengers morrerem, está enfrentando coisas novas enquanto concilia isso com a adolescência, os relacionamentos e a vida familiar.

Ainda que não tenha a aparição de Tobey e Andrew em No Way Home (torcemos para que tenha, mas né), eu tenho a certeza de que o filme vai me causar uma série de emoções justamente por trazer essa mistura de três universos nos quais já estávamos familiarizados, mas de um jeito completamente novo e diferente. Aliado a isso, temos dessa vez o efeito Marvel sob personagens que já amamos e que nunca passaram por esse filtro, como o caso dos vilões dos antigos filmes dos Aranhas.


(Foto: Sony Pictures/Divulgação) 

Hoje essa coluna é para dizer que estou ansiosa e, acima de tudo, empolgada para o que No Way Home reserva. Confio muito no potencial do filme, do seu roteiro e elenco – espero não me decepcionar. Juro que tentei manter as expectativas em um nível que me evitasse a frustração, mas falhei miseravelmente e agora, então, só torço para que o hype se concretize. Quero sair do cinema às lágrimas, aos berros e sedenta para poder surtar com meus amigos (vou ter que esperar até a quinta-feira à noite, mas eu aguento).

Bom, não pode faltar aquela sutil indicação, né? Ainda dá tempo de fazer uma maratona dos filmes 1, 2 e 3 do Aranha do Maguire e dos filmes 1 e 2 do Espetacular Homem-Aranha do Garfield. Ou pelo menos já salva a lista para fazer a maratona pós-NWH. Se liga abaixo onde assistir cada um:

(Tobey Maguire)

Homem-Aranha 1 – Netflix e Globoplay
Homem-Aranha 2 – Netflix e Globoplay
Homem-Aranha 3 – HBO Max


(Andrew Garfield)

O Espetacular Homem-Aranha 1 – HBO Max
O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro – Globoplay


(Tom Holland)

Homem-Aranha: De Volta ao Lar – Netflix, Globoplay, Telecine Play e Paramount+
Homem-Aranha: Longe de Casa – Prime Video


(Outros)

Homem-Aranha no Aranhaverso – Telecine Play


Venom – Netflix
Venom 2: Tempo de Carnificina – NOW Net



Beatriz de Alcântara
Beatriz de Alcântara

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.