RESENHA: Gavião Arqueiro (1ª Temporada)


(Imagem: Divulgação/Disney)

Chegamos ao fim da última produção da Marvel no ano de 2021. Foram quatro filmes e cinco séries, voltando com tudo após os hiatos provocados pela pandemia. E, mais uma vez, eles nos entregaram algo para deixarem os fãs anestesiados e ansiosos por mais. Acertaram no tom, na ambientação da temática natalina, nos personagens abordados e na série como um todo. Mesmo utilizando um herói que não é um dos mais queridos do público, o Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), a escolha de uma parceira dá vida à trama, recolocando o Clint Barton nos holofotes.

Acompanhamos o Clint em uma viagem para aproveitar o Natal com os filhos em Nova York, mas ele se vê envolto em uma confusão quando o traje do antigo alter ego dele, o Ronin, reaparece nas ruas em posse da fã de carteirinha do Gavião, a Kate Bishop, um jovem rica nova-iorquina, que agora terá de sobreviver aos perigos enfrentados com a ajuda do ídolo dela. Não é apenas a introdução da Kate que funciona por si só. A atriz, Hailee Steinfeld, rouba a cena. Ela esbanja talento desde a atuação mirim em Bravura Indômita (2010) que lhe rendeu uma indicação ao Oscar. É um show de carisma. Basta apenas passarmos um minuto com ela na tela para nos afeiçoarmos e já querermos que faça parte dos Vingadores. A Hailee é um fenômeno, e que bom que a temos agora no MCU.

Ligando com o universo criado pela Marvel, é bom saber que apesar do nome, a trama não se apega apenas aos protagonistas. À primeira vista, pode parecer que temos muitas informações, o que pode gerar confusão. Mas eu vejo como uma bagunça organizada e previamente planejada. São vários novos personagens introduzidos, necessários pela variedade de núcleos dentro da série. O elenco de apoio é incrível. Existem ligações com outras obras da Marvel, gerando ótimas surpresas para os fãs. Não tem ponto sem nó e, por isso, boa parte desses coadjuvantes, peças importantíssimas durante a série, também terão um futuro promissor nas vindouras produções.

Além disso, o visual é outro ponto alto. O tom de roxo em diversos cenários, em alusão a cor do icônico traje da dupla, traz um clima charmoso que combina demais com as comemorações natalinas que podem ser vistas pela cidade durante as sequências. Não sou especialista em Natal, para isso, recomendo lerem os textos da Bea, mas essa temática que aparece principalmente nos dois primeiros e no último episódio, aumenta a leveza e traz para o espectador aquela sensação gostosinha de se ter enquanto assiste algo, sem a tornar boba.

A história toma rumos que não posso trazer aqui por conta dos spoilers, mas o importante é a renovação do Gavião Arqueiro. Um personagem valioso para os Vingadores e fundamental para a segurança da Terra nesse universo e que, mesmo não tendo o reconhecimento merecido, dentro e fora da tela, agora encontrou alguém que poderá ajudá-lo. A Kate Bishop ajudará o Clint a trabalhar a “imagem” do herói, torná-lo mais conhecido, quem sabe até mesmo assumindo o manto em um futuro próximo e, mais importante, o ajudará a enfrentar o trauma da perda de uma amiga, já que agora, ele encontrou uma nova parceira.

Nota: 9,5
Onde assistir? Disney+
Micael Menezes
Micael Menezes

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.