PRIMEIRAS IMPRESSÕES: Minx – Uma para Elas


(Imagem: Divulgação/HBO Max)

Que a HBO é ousada, isso todo mundo já tá careca de saber, mas ao assistir Minx: Uma para Elas, vimos a ousadia que só um canal a cabo (ou um serviço de streaming) pode oferecer. Trazendo um cardápio extremo de nudez masculina, Minx tem como foco a criação da primeira revista erótica para o público feminino.

Desde os primórdios, a nudez feminina sempre foi bem mais elevada que a masculina, sendo sempre erotizada, vendida e fetichizada. Não é por mais que o número de revistas direcionadas para o público masculino é bem maior e, na verdade, eu não conheço nenhuma revista nível Playboy que seja para as mulheres. É aqui que Minx traz sua cartada.

Situada na década de 1970, conhecemos Joyce (Ophelia Lovibond), uma feminista que trabalhava como atendente de uma revista voltada para o publico adolescente feminino, a Teen Queen, algo como a Capricho brasileira. No auge da Segunda Onda do Feminismo de 1971, nossa garota vai a uma feira, com o intuito de vender sua revista voltada exclusivamente para o publico feminista, chamada O Despertar do Matriarcado. Tendo só levado “nãos”, ela desperta o interesse de Doug (Jake Johnson), um especialista em revistas masculinas de cunho erótico que tem várias publicações nas bancas.

Ao se juntar a Joyce, Doug cria um plano ousado para a revista que ela idealiza: trazer as ideias que ela deseja tratar, mas em meio disso, vários homens peladões. Ou seja, o melhor dos dois mundos. Relutante de primeira, ela arrisca entrar nessa mas com um pé atrás de como fazer isso funcionar.

Logo em seu piloto, você já fica chocado com o nome que o leva “Não é Um Pauzão na Sua Cara”, e nesse episódio você já pode se preparar para tirar sua família da sala, se ela for tradicional brasileira. São vários os paus que vão voar na sua cara, de toda cor, credo e tamanho. Eles não pouparam em pau nesta parte. Mas o festival fica apenas guardado por aqui, já no segundo o tema é outro. Mas a revolução sexual e o desejo feminino ainda é o tópico principal.

No episódio seguinte temos discussões pautadas no assédio e na tentativa de buscar patrocínio para a revista. Mesmo sendo uma série de comédia, a Ellen Rapoport aponta vários tópicos essenciais em dias pós #MeToo e a vivência diária feminina. A nossa protagonista, tem vários poréns que são aos poucos mostrados e também, vemos as barreiras dela sendo derrubadas.

Pouco a pouco vão sendo construídas narrativas, que vão além da nudez masculina. Por mais, que o foco seja a revista com esse tópico, não vai ser esse o mote principal, e no decorrer da história a falta de roupa masculina será apenas o trabalho e nada mais. Vale ressaltar o carisma dos personagens, que logo de primeira te roubam vários sorrisos, e por mais que a Joyce em alguns momentos te "irrite", ela ainda assim é bem legal e quero muito ver ela crescendo nessa história.

Minx estreou no dia 17 de março, na HBO Max, com dois episódios (serão dez na primeira temporada) já disponíveis. Toda quinta-feira serão exibidos mais dois episódios até seu final.

Nota: 8,5/10

Confira abaixo o trailer:

Adan Cavalcante
Adan Cavalcante

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.