REQUENTADOS: Guerra é Guerra (2012)


(Foto: Divulgação/Star Plus)

Há dez anos estreava nos cinemas o filme “Guerra é Guerra”, comédia romântica com toques de filme de ação protagonizada por Reese Witherspoon, Chris Pine e Tom Hardy. Na história, Reese interpreta Lauren Scott, uma executiva na área de testes de produtos diversos. Enquanto isso, Pine dá vida ao FDR (Franklin Delano Roosevelt) e Hardy é Tuck, ambos são agentes da CIA e melhores amigos desde a infância. A direção é de McG, conhecido pelo seu trabalho em As Panteras e As Panteras Detonando.

Os dois conhecem Lauren em momentos e situações diferentes, e acabam se envolvendo com a mesma mulher sem tomar consciência disso. Indecisa, ela experimenta uma série de encontros com cada um deles para escolher com qual deles quer, realmente, engatar num relacionamento. Apesar da premissa de amigos acima de namorada, a amizade de Tuck e FDR se vê comprometida diante da loira encantadora que rouba o coração dos dois.

Lembro de assistir esse filme nos cinemas, além da atriz ser uma das que mais amo acompanhar, vocês estão cansados de saber que comédia romântica é meu gênero cinematográfico preferido. Ou seja, uniu o útil ao agradável. A ideia de ter, no meio disso tudo, um tom de espionagem e ação deixa o filme ainda melhor para cumprir seu papel de divertimento.

Guerra é Guerra não pretende ser um filme icônico ou ter grandes proporções diante do público ou dos críticos. Ele não queria ser pretensioso e é por isso que ele cumpre com louvor o seu objetivo. É engraçado, leve e tem o romance que a gente espera que tenha, né? Em dose dupla, ainda por cima! Ele não consegue ser 100% comédia romântica e nem 100% filme de ação, e no fim das contas, esse é seu grande acerto. Afinal, ele não pretendia ser mesmo.

Em relação às personalidades, FDR é aquele clichê do mulherengo que finalmente se apaixona e acredita piamente que encontrou o grande amor de sua vida. Do outro lado, Tuck é pai, recém-divorciado, que tem aquele lado de quem deseja dar continuidade à família e tem o ar de responsabilidade que se opõe ao histórico de FDR. É uma disputa “difícil” para Lauren.

Ainda na trama, em segundo plano ao romance, os dois agentes de espionagem precisam combater um bandido profissional que põe Lauren na mira de sua bala, visto que pode atingir os dois alvos com uma tacada só. O trabalho da Lauren acaba sendo um aliado aos espiões, pois ela por testar marcas e produtos diversos conhece os pontos fortes e fracos de coisas como airbags de um carro, por exemplo.

No elenco, a gente ainda tem nomes como Chelsea HandlerAbigail Spencer, Angela Bassett e Rosemary Harris. O filme pretendia ser lançado em fevereiro daquele ano, mas como é o mês dos namorados no hemisfério norte, a empresa decidiu esperar para não perder público para o lançamento do mês, que era Para Sempre, com Rachel McAdams e Channing Tatum.

O final da história é o melhor, pra mim. O casal que mais fazia sentido fica junto e a gente ainda tem uma lição sobre segundas chances e amizade. Vale a pena, hein?! É um ótimo filme para se assistir com a família, com os amigos ou até de casal – e sozinho também. Só preparar a pipoca e ligar a tv, o longa está disponível no Star Plus.

Nota: 7/10

Beatriz de Alcântara
Beatriz de Alcântara

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.