RESENHA: Licorice Pizza (2021)



(Imagem: Divulgação/MGM Studios)

O novo filme do Paul Thomas Anderson, que o dirigiu e escreveu, é também um dos meus preferidos dessa corrida do Oscar de 2022 junto a CODA, que já falei aqui no site. Uma belíssimo ode aos anos 70 e toda aquela cultura seja na música, na TV, no cinema e na moda, e até na política, Licorice Pizza é uma obra perfeita recheada de referências e easter eggs para os amantes de cinema.

Em Licorice Pizza somos apresentados a Gary Valentine (Cooper Hoffman), um garoto de 15 anos (quase 16) que se apaixona pela Alana Kane (Alana Haim), uma garota bem mais velha que ele, mas que juntos formam uma dupla incrível. Alana sabe da paixão do garoto por ela, e em certos momentos, ela cede às expectativas do garoto mas não por cem por cento, pois ela não acha que um garoto vá lhe proporcionar algo na vida.

Gary é um ex ator mirim já na adolescência com um ótimo faro para os negócios, que pode-se até dizer que é um prodígio na área. Durante o filme, ele faz vários investimos, e em conjunto com a Alana se tornam uma dupla de sucesso. O filme trata o relacionamento dos dois de modo muito maduro, sempre colocando eles no mesmo patamar, sem distinções de idade e vivência. O que aqui é bem interessante, pois em vários aspectos o Gary aparenta uma força madura incrível, o que coloca as discussões entre eles sem paralelos de graus inferiores.

A história do filme é de crescimento de personagens e uma jornada de amadurecimento e paixão, onde um amor nasce e respeito emana entre eles logo de início e isso é mostrado de forma belíssima entre o roteiro, o diretor e os atores. Você torce pelo casal principal. Toda a ambientação setentista daquela Los Angeles clássica, onde o glamour pelas ruas é efervescente diante de todo o processo após sessenta. Eram outras regras, outro universo, mesmo sendo ali a pouco mais de cinquenta anos.



(Imagem: Divulgação/MGM Studios)

Como falei acima, as referências hollywoodianas e alguns nomes que fizeram ou fazem parte desse meio, são apresentados aqui. O nosso protagonista é baseado em um amigo do PTA, Gary Goetzman, que foi um ator infantil naquela década, que inclusive apareceu no filme “Os Seus, os Meus e os Nossos” de 1968, que foi estrelado pela figura icônica Lucille Ball. No filme, a famosa atriz se tornou Lucille Doolittle (Christine Ebersole), e tem uma das cenas mais divertidas do filme. Sean Penn aparece no filme como Jack Holden, uma alusão ao grande ator William Holden, que estrelou clássicos do cinema como Sabrina e Crepúsculo dos Deuses.

O personagem do ator Bradley Cooper (hilário e psicótico aqui), realmente foi casado com a Barbra Streisand por 12 anos. Conhecendo a artista em 1973, ano que se passa o filme, aqui ainda era seu cabelereiro e por ironia do destino, trabalhou com Streisand em sua adaptação de “Nasce uma Estrela” em 1976. Outro personagem real é o candidato Joel Wachs, que a personagem Alana se voluntaria para ajudar em sua campanha. Outros locais e personagens também saíram da vida real para ganhar as linhas dessa história.

Ao finalizar o filme, você pode se perguntar o porquê de “Licorice Pizza”, que em tradução literal é pizza de alcaçuz, mas em nenhum momento eles comem pizza ou alcaçuz. Na verdade, o título é uma gíria para discos de vinis, que remete a música que durante várias décadas teve o vinil como seu principal executor. Além disso, Licorice Pizza foi o nome de uma famosa loja de discos que ficava situada na Califórnia.

Durante todo o filme, eu tive aquela sensação que me remetia a obras da diretora Sofia Coppola ou ao grande sucesso “Era Uma Vez… em Hollywood” do Quentin Tarantino, que por sinal é grande amigo do Paul Thomas Anderson. Tal qual outros diretores de sua geração, PTA utiliza da música para compor sua filmografia e aqui, ela é um dos personagens principais mesmo que sem um nome em seu destaque. Estando explícito ao tocar David Bowie ou Nina Simone, essa invocação artística musical dá rumo a várias cenas que são ligadas sonoramente com o que é executado.

Não sei quais as chances de Licorice Pizza ou do PTA nos prêmios do Oscar desse ano, mas é um dos filmes que com toda certeza vai estar marcado na indústria do cinema. É uma obra-cinematográfica que lhe causa sensações, é leve e que lhe remete a um universo que você não viveu (ou pode até ter vivido). É cinema em sua pura essência, trazendo valores e fatores que moldam toda sua existência, tendo já cravado sua importância aqui.

Alana Haim me surpreendeu como a protagonista dessa história. Já era um entusiasta de sua música, junto com suas irmãs no trio HAIM. Inclusive, toda a família Haim faz parte do filme como a própria família da protagonista, desde suas irmãs (Danielle e Este Haim) companheiras de banda, como sua mãe e seu pai. Outro destaque, vai para o Cooper Hoffman, que o sobrenome já deve chamar a atenção, pois ele é filho do grande Philip Seymour Hoffman. Em seu primeiro papel, o garoto entregou um carisma ímpar e foi indicado a vários prêmios nesta temporada.

Licorice Pizza está em exibição nos cinemas e ainda não tem previsão de estrear em algum streaming. Quem puder assistir essa obra, vá e não perca tempo. 

Nota: 9,5/10
Adan Cavalcante
Adan Cavalcante

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.