6 filmes nacionais tão bons, mas tão bons, que parecem até cinema brasileiro

Cinema é uma linguagem que une quase todo mundo. Ao comentar que você tem uma obra como favorita, com toda certeza alguma reação você vai receber. O ato de fazer cinema é global, e sai de forma cultural dependendo de onde ele é produzido. Saindo do cenário norte-americano e seus costumes, muitos outros cineastas trazem toque para a sétima arte e tais obras são reflexo em suma maioria de seu povo e sua história.

Ao enxergar certos veículos não dando o devido mérito ao que lhe é apresentado em solo brasileiro, taxando o de inferior ou/e quando vão “enaltecer” o comparar com algo exterior, como se o nosso não fosse digno de destaque ou apreciação, resolvi trazer 6 obras brasileiras que são tão boas, que só podiam ser cinema brasileiro. Resolvi não trazer alguns que todos já conhecemos como Que Horas Ela Volta? ou O Auto da Compadecida, tal qual filmes clássicos do Cinema Novo.


A História da Eternidade (2014)



(Imagem: Cena do filme A História da Eternidade, 2014)

Não existe nada mais gostoso do que você sentir aproximação em uma obra. Assistir, ler ou ouvir algo que traz sua localidade estampada ali, é um prazer único. Ao assistir A História da Eternidade, filme de Camilo Cavalcante, é mágica e encantadora. Tendo um elenco de peso como Irandhir Santos, Marcélia Cartaxo e Zezita Matos, o drama aborda três histórias em um pequeno vilarejo do sertão. Todos ali se entregam de corpo e alma, tendo momentos de transformar a alma do telespectador. É poesia em forma de filme. O roteiro é impecável e traz de forma magistral os toques nordestinos. Tabus são escancarados e toda moral de uma cidade é jogada de forma dura. Um final arrebatador.

Onde Assistir? Youtube


Tatuagem (2013)


(Imagem: Cena do filme Tatuagem, 2013)

Hilton Lacerda aborda ditadura militar, sexualidade, arte e amor nessa obra que chama a atenção desde seu lançamento. Novamente temos Irandhir Santos encabeçando o elenco, ao lado do talentosíssimo Jesuíta Barbosa (quase 10 anos antes de serem irmãos na atual versão de Pantanal). Gravado em Olinda, Recife e no Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, o filme foi bastante premiado e trouxe a história de um grupo de artistas que provoca a moral e bons costumes durante o fim da década de 70. Liderado por Clécio (Irandhir Santos), o grupo resiste e provoca o sistema com a anarquia e subversão. Para complicar a vida de Clécio, ele conhece o soldado Arlindo Araújo (Jesuíta Barbosa), chamado de Fininha, o garoto de 18 anos muda a vida do artista. O elenco dá um show, as atuações são viscerais e você vivencia aquele mundo de uma forma ímpar. Aqui, temos um exemplo de luta ao conservadorismo vindo desde da década de 70 até os dias atuais.

Onde Assistir? Netflix

Estômago (2007)


(Imagem: Cena do filme Estômago, 2007)

Dirigido por Marcos Jorge, Estômago é um dos melhores filmes que você vai assistir na sua vida. Não, não sou eu que estou falando e sim as milhões de pessoas que tiveram o prazer de consumir essa obra. Trazendo humor sem ser escrachado, sério sem ser chato, além de fazer críticas sem ser didático por didático, o filme utiliza da não-linearidade de forma magistral. No elenco temos João Miguel, Fabiula Nascimento, Babu Santana, Paulo Miklos e muito mais. A trama traz Raimundo Nonato (João Miguel) que veio do nordeste para cidade grande em busca da famosa “vida melhor”. Descobrindo que é bom na arte da culinária, a gente descobre suas histórias nas cozinhas de boteco e de uma prisão. A delícia de descobrir o que levou ele à prisão, e todas as histórias contadas, faz desse filme um deleite total. Mesmo com essa trama de “nordestino ingênuo na cidade grande” já ser batida, o diretor conseguiu trabalhar de forma fenomenal.


Onde Assistir? Netflix e Globoplay

2 Coelhos (2012)


(Imagem: Cena do filme 2 Coelhos, 2012)

Não só de comédia e filme policial que se vive o cinema nacional. Os filmes de ação são de uma espetacularidade só e 2 Coelhos é uma das provas disso. Recomendado por uma grande amiga da faculdade (oi, Amanda), entrar em 2 Coelhos é sair doidão de uma viagem de ácido. Cheio de reviravoltas, o filme foi dirigido, produzido e roteirizado por Afonso Poyart, com Fernando Alves Pinto, Alessandra Negrini, Caco Ciocler e muito mais no elenco. Ao se ver em uma situação da maioria dos brasileiros, vendo a criminalidade agir impunemente e o poder público mais corrupto que tudo, Edgar (Fernando Alves Pinto) resolve fazer justiça e colocar os criminosos no caminho dos políticos corruptos e ver tudo ir pelos ares. Usando de forma exemplar as línguas dos games, das hqs e dos videoclipes, 2 Coelhos tem uma direção surpreendente e competente, que aparentemente despretensiosa, surpreende por catalisar universos pouco utilizados no cinema nacional. O filme equilibra muito bem ação, crítica social e ironia, em uma narrativa não-linear.


Onde Assistir? Now

Reflexões de um Liquidificador (2010)


(Imagem: Cena do filme Reflexões de um Liquidificador, 2010)

Protagonizado pela premiada Ana Lúcia Torres e Selton Mello, Reflexões de um Liquidificador é um filme diferente e maravilhoso. Você entra na história achando que vai consumir algo leve, cômico e encontra humor ácido, com reviravoltas que vão te prender do outro lado. Com roteiro de José Antônio de Souza e direção de André Klotzel, o filme é bem criativo e diferente, e acredito que seja aqui que seduz o espectador. Ao trazer a história de uma dona de casa chamada Elvira (Ana Lúcia Torres), que passa por momentos complicados em sua vida ao ter seu marido, Onofre (Germano Halut), desaparecido. Enquanto tudo isso ocorre, um liquidificador filosófico nos conta como toda essa história começou e explica mais sobre sua amizade com Elvira.

Onde Assistir? Youtube

Medida Provisória (2022)


(Imagem: Cena do filme Medida Provisória, 2022)

Que Lázaro Ramos é um ator MARAVILHOSO isso NINGUÉM pode dizer o contrário. Com Medida Provisória, filme lançado esse ano, ele se mostrou também um tremendo diretor ao adaptar a peça de teatro Namíbia, Não!, de Aldri Anunciação. No elenco temos a elite da atuação brasileira como Taís Araújo, Renata Sorrah, Adriana Esteves, Seu Jorge e temos Alfred Enoch, em seu primeiro papel em solo brasileiro. A história é uma distopia aterrorizante, onde no futuro uma medida provisória de reparação histórica pelos anos de escravidão é respondida pelo Congresso Nacional com outra que obriga os cidadãos negros a migrarem para a África. Em meio a isso, o casal formado por Capitu (Taís Araújo) e o advogado Antônio (Alfred Enoch) é afetado por essa medida, fazendo com que sejam forçados a se separar pelas forças das circunstâncias e os dois temem que não se reencontrem mais. Para saber mais sobre Medida Provisória, Bea falou mais sobre ele em uma postagem. Com uma trilha sonora incrível e cenas emblemáticas, com os atores dando show de interpretação, o filme detém uma média de 93% no Rotten Tomatoes pela crítica e já levou vários prêmios.


Onde Assistir? Globoplay


Leia mais aqui sobre Medida Provisória 


Com essas dicas deixo a mensagem de: vamos aclamar mais nosso cinema, procurar conhecê-lo. Atualmente, a resistência é a melhor forma de sobreviver em uma política de extermínio da cultura. E para vocês, qual a melhor obra nacional que só podia ter vindo do Brasil?



Adan Cavalcante
Adan Cavalcante

Para saber mais sobre o/a autor/a, acesse a aba "Quem Somos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilha sua opinião! ♥

Autoria de Clube do Café da Manhã. Tecnologia do Blogger.